Matéria escrita por: Profª Carla Issa

A leitura é sem dúvidas, uma das formas mais democráticas e acessíveis existentes para o desenvolvimento pessoal e profissional. Quando incentivada desde a infância, por pais e educadores, desencadeia maior domínio da linguagem, da criatividade e do potencial de concentração.

Na adolescência, apesar de ser uma fase complicada para algumas famílias, é também um momento em que o jovem constrói a maior parte da sua personalidade, se abre para o mundo e para a enorme complexidade que o cerca. Nesse momento a leitura serve como um incentivo para a descoberta de temas que o faça compreender o mundo a partir de novas perspectivas, com olhar diferenciado e, com isso, encontrarão respostas para dúvidas que muitas vezes não se sentem a vontade para compartilhar.

Segundo Henry Thoreau, “Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro.” Imperceptivelmente, a leitura pega carona e traz benefícios importantes para toda a vida, como: habilidade de interpretação, ampliação das capacidades cognitivas para a compreensão das ideias, desenvolvimento de uma visão crítica e principalmente a capacidade de argumentação e conhecimento de mundo diferenciados.

Encontrar tempo para leitura é um momento pessoal. O encontro consigo mesmo é uma expansão de sonhos infinitos que construímos e idealizamos. Ler é encontrar outros possíveis mundos. É questionar a realidade e discordar de ideias e opiniões, simplesmente por ter opinião já formada. É conhecer, compreender e amar a subjetividade, é ser flexível e voltar atrás sobre o que havia discordado antes, só por ter a capacidade de pensar sobre o assunto e analisá-lo profundamente.

Como dizia Mario Quintana: “O leitor que mais admiro é aquele que chegou até a presente linha. Neste momento já interrompeu a leitura e está continuando a viagem por conta própria.”